Gulbenkian exibe “Muxima” [SEX, 4 SET 2015]

© Alfredo Jaar

© Alfredo Jaar

A Casa-Arquivo do Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, exibe no dia 4 de Setembro  o filme “Muxima”, do artista plástico e cineasta chileno Alfredo Jaar.

“Muxima” (2005, 36 min.) é uma elegia à gente de Angola. Homenagem que começa com o título do filme, Muxima, coração em Kimbundú, língua indígena angolana. O filme é fruto das várias viagens de Alfredo Jaar a Angola. “Muxima é um poema visual dividido em 10 Cantos. Cada Canto tem uma estrutura similar a um Haiku (breve poema japonês), centrado apenas em dois ou três temas, com grande economia de significados. O objetivo é expressar o máximo com o mínimo possível, tal como os extraordinários poemas breves de um dos meus poetas favoritos: Giuseppe Ungaretti.” (AJ)

A sessão tem início às 18h30, integra o ciclo de filmes de curta e média metragem e diaporamas do Programa Próximo Futuro e inclui ainda os filmes “Irreversible Conga” e “Polaris”.

Entrada livre.

+ info

 

 

 

 

Anúncios

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s