Últimos dias do Alkantara Festival [até 11 JUN 2016]

A 14.ª edição do Alkantara Festival – Festival Internacional de Artes Performativas está quase a acabar, mas ainda há tempo para ver muitos espectáculos neste que é considerado um dos mais importantes festivais de artes performativas do país.

Aqui ficam os nossos destaques:

En Alerte

En_Alerte_Fouad_Nafili

Foto: Fouad Nafili

É possível conciliar a dança e a espiritualidade? Taoufiq Izeddiou responde de forma magistral a esta questão utilizando a primeira para evocar a segunda. O coreógrafo marroquino interroga-se sobre essa força extraordinária que permite a alguns aceder a uma sabedoria que atravessa os séculos e a outros mergulhar numa violência cega em nome de um ideal intangível. En Alerte constrói-se sobre três alicerces: a lembrança (a sua primeira dança, aos 5 anos, que foi também o seu primeiro contacto com a espiritualidade), a voz (que canta, que fala, que se exprime em várias línguas) e a religião (como uma resposta rápida aos nossos medos e em nítida oposição com a espiritualidade, que é uma conquista a longo prazo). Três pontos de partida para transformar essa pesquisa espiritual numa coreografia de movimentos e de sons.

TER 7 e QUA 8 JUNHO – 21H

Teatro Municipal São Luiz, Sala Principal

Entrada: 12€ e 15€

 

55

55_Beniamin_Boar55, como os 55 minutos de um espetáculo de arquitetura construído a partir do número cinco e das medidas do corpo do bailarino. Primeira criação de Radouan Mriziga, 55 é um exemplo perfeito da forma como o bailarino e coreógrafo nascido em Marraquexe, forma- do pela P.A.R.T.S., transformou as influências híbridas da sua dança numa linguagem única e pessoal, situada algures entre a sobriedade e a sensualidade, entre a concetualização e a fisicalidade, entre o estrutural e o sentimental.

Mriziga usa o próprio corpo para criar um padrão no chão. Um padrão cujos contornos surgem inevitavelmente da relação entre a anatomia e o espaço. Mas aqui a concepção racionalista de que less is more não é incompatível com o deleite estético e emocional associado ao ornamento.

QUA 8 e QUI 9 JUNHO – 19H

Teatro Municipal São Luiz, Jardim de Inverno

Entrada: 12€

SAB 11 JUNHO – 19H (inserido nas Festas de Lisboa 2016)

Jardim do Torel

 

Bubas Faray + Afrotxilo

afrotxilo1150x765

Bubas Faray cresceu no extinto bairro de Francos (2F) na Linha de Sintra e a sua base actual é o Pendão em Queluz. Já foi bailarino de kuduro e nos últimos três anos tem-se dedicado ao afrotechno como deejay e produtor.

Afrotxilo, composto por Bolicao, Papoite Mindao, Selma e Valdo, foi criado por Bolicao e Mindao em 2012. A ligação entre estes quatros jovens é o gosto pela cultura africana, o kuduro e afrohouse. Com a dança o grupo pretende transmitir um pouco da cultura africana, a energia e a alegria do povo angolano.

Evento integrado no programa ZONA/SUB/CENTRAL: Três quintas à noite, três oportunidades para descobrir a cena musical emergente das periferias de Lisboa, onde os novos géneros são inventados a cada semana.

QUI 9 JUNHO – 23:59H

Teatro Municipal São Luiz, Sala Mário Viegas

Entrada livre

 

+ info sobre o Alkantara Festival

 

 

 

Anúncios

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s